Aluno de Design da Universidade FUMEC descobre vocação para tatuagem

Por Gabriela Siqueira

Mateus Rezende, aluno de Design da Universidade FUMEC, desde cedo se interessou por tatuagens. “Quando era moleque já desenhava em mim com caneta bic, caneta de henna e o que eu encontrasse pela frente”, conta. Com o passar do tempo, o gosto pelo desenho só aumentou e isso o levou a estudar técnicas de tribal como Maori (tribal neozelandês) e Marajoara (tribal do Pará), mas foi em uma sessão de tatuagem que Mateus, depois de horas de conversa com o tatuador, se convenceu de que era nessa área que gostaria de atuar.

O aprendizado não foi fácil. Ele buscou vários estúdios, porém, alguns exigiam dinheiro para ensiná-lo e outros simplesmente não queriam passar seus conhecimentos. Foi então, depois de muita procura, que Mateus encontrou o Local Arte e, em troca de alguns flyers e outros produtos de design gráfico, pode acompanhar os profissionais do local enquanto tatuavam seus clientes. A parceria acabou dando certo e os donos do estúdio – Thiago Oliveira e Aulus de Paula, além do tatuador e bodypiercing Charlie Godoi – acreditaram no potencial de Mateus e o ajudaram bastante.

Os suportes usados por um tatuador em fase de aprendizado são pele de porco e sintética, “mas as técnicas tradicionais não funcionaram para mim”, explica. A solução foi chamar um amigo e fazer o teste: “liguei para um amigo e falei ‘anima ser cobaia? ‘, ele aceitou na hora e no fim fui bem para uma primeira tatuagem.”

Apesar de pouco tempo de experiência, Mateus parece já ter encontrado um estilo próprio de ilustração e tatuagem. “Não uso nenhuma cor além do preto, apesar de gostar de fazer diversos tipos de tatuagem elas são sempre em preto. Gosto bastante do estilo sketch, particularmente o meu favorito, mas também gosto da aplicação do geométrico, do uso de grafismos nos desenhos e do que gosto de chamar de cartoon estilizado”, conta. A exigência a respeito das tatuagens que faz no próprio corpo não é deixada de lado quando se trata de um cliente, já que ele faz questão de tatuar apenas desenhos originais. “Se chegarem com algum desenho pronto para mim, refaço com meus traços e meu estilo, assim respeito quem fez o desenho, quem se tatuou com ele e ainda transformo em algo original e único para quem vai se tatuar, sem falar que estou transformando um trabalho em algo meu, crio uma identificação maior com o desenho”.

Mateus conta que a Universidade FUMEC o ajudou muito, pois, além das disciplinas de desenho, foi durante as aulas e a convivência no ambiente acadêmico que descobriu diversos artistas, entre eles o favorito, Moebius. O contato com os diferentes estilos de cada aluno e professor fez com que ele fosse capaz de moldar o seu próprio, que hoje é aplicado às suas ilustrações e em seu trabalho como tatuador. “A faculdade é um ambiente que a todo momento você pode agregar algo para você seja no âmbito profissional ou pessoal”. O Local Arte Tattoo, onde trabalha atualmente, é uma mistura de estúdio de tatuagem e galeria de arte e se encontra na rua Levindo Lopes, 380, no bairro Savassi.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s